No contexto em que se insere o Edifício Centro de investigação oceanografico, a prossecução de objectivos de sustentabilidade no processo arquitectónico está claramente afirmada no conceito em desenvolvimento. Na sua vertente energética, esta afirmação passa pela modelação das condições climatéricas exteriores, através de um desenho solar passivo, no sentido da minimização das necessidades energéticas para aquecimento, arrefecimento, ventilação e iluminação no interior do edifício. Em complementaridade, de forma a satisfazer as necessidades ainda assim decorrentes, deverão ser previstos meios de geração local de energia que utilizem recursos endógenos renováveis na maior medida possível, devendo ser ainda tidas em consideração opções tecnológicas que recorram a fontes convencionais de energia mas com elevados padrões de desempenho energético-ambiental. O estabelecimento do modelo, estratégia e sistema energético do Centro de Investigação Oceanografico do Mindelo está ainda condicionado pela existência de uma rede eléctrica local de energia e águas, incapaz de satisfazer as necessidades do edifício de uma forma constante e sem falhas. Este facto realça a importância, quer da necessidade de minimizar consumos, quer da existência de um sistema de geração local de energia e do seu estabelecimento com base em princípios de sustentabilidade. Face ao tipo de ocupação prosseguido, pode-se considerar que o estabelecimento do modelo, estratégia, e decorrente sistema energético e sistema de águas, do Centro de investigação oceanografico se constitui como um desafio central em todo o projecto – o seu sucesso impacta significativamente no sucesso e multi-funcionallidade almejados.

Fase de concurso - Não construido